Déficit do INSS é fictício, diz Confederação dos Aposentados

INSS em Vitória. Foto: Kadidja Fernandes / AT.

INSS em Vitória. Foto: Kadidja Fernandes

O déficit da Previdência Social é o principal argumento do governo, ao lado do envelhecimento da população, para a aprovação de novas regras para a aposentadoria. Mas a Confederação Brasileira de Aposentados, Pensionistas e Idosos (Cobap) afirma que esse déficit é fictício e que, em vez de faltar dinheiro para o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) em 2015, houve uma sobra de quase R$ 25 bilhões.

“Chega de mentiras, nossa previdência é superavitária, gera lucro aos cofres públicos. Para melhorá-la basta eliminar os desvios de verbas, extirpar a corrupção no setor, exterminar as fraudes e cobrar os sonegadores”, diz artigo assinado pelo presidente da Cobap Warley Martins Gonçalles publicado no site da confederação.

A Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), que anualmente divulga os dados da Seguridade Social, também defende que não existe déficit. Pelo contrário, segundo a Anfip os superávits nos últimos anos foram sucessivos: saldo positivo de R$ 59,9 bilhões em 2006; R$ 72,6 bilhões, em 2007; R$ 64,3 bi, em 2008; R$ 32,7 bi, em 2009; R$ 53,8 bi, em 2010; R$ 75,7 bi, em 2011; R$ 82,7 bi, em 2012; R$ 76,2 bi, em 2013; R$ 53,9 bi, em 2014.

No ano passado, segundo a associação, o investimento nos programas da Seguridade Social, que incluem as aposentadorias urbanas e rurais, benefícios sociais e despesas do Ministério da Saúde, entre outros, foi de R$ 631,1 bilhões, enquanto as receitas da Seguridade foram de R$ 707,1 bilhões. Ou seja, teria sobrado dinheiro (R$ 24 bilhões).

OUTRO LADO

Em nota divulgada à imprensa, a Secretaria de Previdência Social afirmou em nota que o rombo nas contas do INSS não é uma farsa. “A Previdência Social está em risco. Ajustes são necessários para que sua sustentabilidade seja mantida e o direito à aposentadoria e outros benefícios previdenciários sejam garantidos”. Disse ainda que “o total arrecado do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) é inferior ao total da despesa. Com situação deficitária somada à população que envelhece de forma acelerada, a tendência é o déficit ficar insustentável”.

FUENTE:

http://www.tribunaonline.com.br/deficit-do-inss-e-ficticio-diz-confederacao-dos-aposentados/