Buscador de Noticias Mundial. La mas completa informacion para todos los usuarios en todos los idiomas.



Escutas revelam orientações para caminhoneiros fugirem de fiscalizações. Ouça as conversas

Acidente com carreta em Guarapari

Em junho, 23 pessoas morreram em acidente com uma carreta da empresa. Foto: Roberta Bouguinon

Os empresários Leocir Braz Pretti e Jacimar Pretti, proprietários da empresa Jamarle Transportes, foram presos acusados de atrapalharem as investigações do acidente entre a carreta da empresa, um ônibus de viagem e duas ambulâncias, em junho deste ano. Segundo a polícia, os dois orientavam seus funcionários a mentir em depoimento.

O acidente aconteceu no dia 22 de junho deste ano, na BR 101, em Guarapari, e resultou na morte de 23 pessoas, sendo considerada a maior tragédia rodoviária da história do Espírito Santo.

Além de revelar o aliciamento e as orientações para mentir em depoimento à polícia, o titular da Delegacia de Delitos de Trânsito, delegado Alberto Roque Peres, informou ainda que escutas revelaram orientações para fugir de fiscalizações na BR 101.

“A testemunha que foi ouvida, na quarta-feira (23), fala que a orientação dada por Leocir é para ele fugir da balança de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal da Serra, passando por dentro de Aracruz, com excesso de peso. As vias de Aracruz não são apropriadas para esse tipo de caminhão e de peso. É um risco tremendo para todos os moradores e usuários daquela via”, afirmou o delegado.

Segundo o delegado, além das falhas apontadas pelos laudos já divulgados, a perícia identificou outra nova falha: o velocímetro da carreta estava quebrado.

“O velocímetro estava marcando 20 quilômetros a menos do que a carreta estava andando, ou seja, se estivesse marcando 80 km/h, o velocímetro estaria marcando 60 km/h”, explicou o delegado.

Peres informou que o caminhão envolvido no acidente havia sido emprestado ao motorista. “O caminhão dele estava com defeito e o Leocir e Jacimar emprestaram aquele caminhão para ele fazer o serviço durante aquela semana”, explicou.

Em um dos áudios divulgados pelo delegado, Leocir revela que as carretas estão transportando até 60 toneladas, quando o permitido é até 35 toneladas.

Em outra escuta o motorista avisa sobre as más condições do pneu da carreta. “Bota o estepe”, diz Leocir. Porém, o motorista informa que é o estepe que está em más condições. “Cadê o outro?”, pergunta o empresário e a resposta do motorista é “está no arame (careca)”. Leocir desliga o telefone.

Leocir e Jacimar estão no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Colatina e vão responder por 23 homicídios, lesão corporal dolosa, no caso dos sobreviventes, além de coação a testemunha.

Ouça as conversas:

A reportagem completa você lê na edição deste sábado (26) do jornal A Tribuna.

Reportagem: Leone Oliveira

FUENTE:

https://www.tribunaonline.com.br/escutas-revelam-orientacoes-para-caminhoneiros-fugirem-de-fiscalizacoes/